Desporto

Vestuário de Compressão: Aumenta a minha performance ou não?

Quem acompanha algum tipo de competição desportiva, seja ela qual for, já viu com certeza os atletas vestidos com roupa (sejam calças, calções, t-shirts, perneiras, meias, mangas, etc) muito justa. E, possivelmente, ficou a perguntar-se porque vestem aquelas lycras tão justas.

Bom, o pretendido (pelos atletas) não é evidenciar a sua forma física nem os seus atributos corporais. O uso destas peças tem objectivamente uma intenção: criar compressão na área em que são utilizadas.

São inúmeros os estudos sobre os efeitos associados à utilização de material de compressão mas, na verdade, até hoje nenhum deles conseguiu concluir que há melhorias de performance significativas directamente imputáveis à sua utilização. Isto é, não foram verificadas melhorias de resultados efectuando os exercícios com material de compressão.

Todavia, isto não significa que a utilização de material de compressão não traga benefícios. Por exemplo, um estudo feito sobre calções de compressão não encontrou nenhuma alteração nos tempos de corrida (dos atletas analisados) mas verificou ligeiras correcções na passada que podem prevenir lesões1; por outro lado, alguns estudos2 detectaram uma redução da dor associada à fadiga muscular e uma recuperação mais rápida (diminuição da formação de ácido láctico e do ritmo cardíaco), pela utilização deste tipo de equipamento no pós-treino.

Outro dos benefícios que se acredita estar associado ao vestuário de compressão é a melhoria da circulação sanguínea. Pensa-se que a constrição muscular comprime as veias, aumentando a pressão do sangue e, consequentemente, facilitando a remoção da creatinaquinase (enzima libertada pelo músculo, depois do exercício, que provoca a dor muscular).

Resumindo, apesar de não se comprovar (cientificamente) nenhuma melhoria de performance, há sem dúvida benefícios associados à utilização de vestuário de compressão, sobretudo no pós-treino como forma de melhorar a recuperação física e reduzir a sensação de dor muscular. E não esqueçamos o efeito placebo…dado que aquilo em que acreditamos tem um poder imenso sobre aquilo que conseguimos fazer, se ao utilizares equipamentos de compressão te sentes com maior capacidade física, então força! Usa-os! Mal não te vai fazer.

Bons treinos!!!!

2017_12 Compression Collection

1 – Doan BK, Kwon YH, Newton RU, et al. (Aug 2003). “Evaluation of a lower-body compression garment”. J Sports Sci. 21 (8): 601–10.

2 – Lovell, Dale I.; Mason, Dale G.; Delphinus, Elias M.; McLellan, Christopher P. (2011-12-01). “Do compression garments enhance the active recovery process after high-intensity running?”. Journal of Strength and Conditioning Research. 25 (12): 3264–3268.

 

Texto de Six Pack Fitness Store

14231369_195117477575323_2824403707897969_o

https://www.sixpackgear.com/

https://www.facebook.com/Fuel2Fit/

https://www.instagram.com/sixpackfitnessstore/

Nutrição

Como ser feliz no Natal sem estragar a dieta?

Adoro cozinhar, experimentar novas receitas e tornar a cozinha tradicional mais saudável é uns dos meus hobbies. Aberta a época das receitas de natal “saudáveis” não vou dar receitas mas dicas para aliviar o complicometro e comer de forma consciente.

Culpa não deve ser um sentimento associado à comida. É importante encontrar um equilíbrio entre o comer por necessidade e a componente social e edónica das refeições.São os nossos hábitos alimentares que contribuem de forma real para a nossa saúde e gestão de peso. O que comemos e não comemos no nosso dia a dia.Não são, de forma nenhuma, as excepções e as festas que vão estragar a dieta ou fazer-nos viver pior ou menos tempo. Quantas vezes por ano faz filhoses, sonhos e rabanadas? Eu só faço uma por isso no Natal vou-me dar ao “luxo” natalício.

Algumas dicas para um natal saudável e sem culpas (dia 24 e 25 de dezembro):

1º- Faça refeições ligeiras desde o pequeno almoço até há hora da festa e evite estar muito tempo sem comer

2º- Evite petiscar entradas. Coloque tudo o que quer de entrada no prato de uma só vez para que consiga ter noção do que está a comer

3º – Normalmente os doces de natal são muito ricos em gordura por isso prefira entradas mais leves (azeitonas, camarão cozido, salmão fumado aromatizado, por exemplo)

4º- Inicie a refeição com um prato de sopa e/ ou vegetais (meio estômago fica cheio)

5º- Quanto ás bebidas o ideal é sempre água. Caso não dispense um copo de vinho ou um sumo natural, opte por eles mas intercale com água

6º- Pense previamente nas sobremesas que quer comer e coma apenas aquelas que lhe apetece mesmo (sejam quais forem!). O melhor é colocar tudo num prato de sobremesa de uma só vez.

Eu provavelmente vou comer 2 filhós de cenoura (sonhos para os lisboetas) e queimar as suas calorias nos passeios tradicionais à beira mar!

Bom Natal!

 Curiosidades energéticas:

– 1 tacinha de arroz doce (1 colher de servir) – 250Kcal

– 1 filhós – 150Kcal

– 1 sonho – 150Kcal

– 1 rabanada – 300Kcal

– 1 fatia de bolo rei – 350Kcal

 

Texto de Ana Luísa Mousinho

A_L27

 

 

 

nutricionista.anamousinho@gmail.com

https://www.facebook.com/analuisamousinho/